Inovar geral Inovar profissional Inovar EFA inovar Paa Inovar Alunos spacer portalsige Serviço SMS Webmail spacer MoodleGest Mra MoodlePed Mra spacer Camera SH audio and video icon 32 graphix my documents 283x283
C Geral C Prof EFA PAA Consulta   Sige SMS WebMail   MoodleGest MoodlePed   Fotos Vídeos Documentos

junho 2017
D Sb
1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30

Visitantes desde 29 Out 2011

1190154
Hoje50
Ontem1010
Esta Semana1030
Este Mês22447
Mais visitantes no dia... 20-06-2017 : 1744

Patrono

matilde rosa araujo

A Escola sede existe neste local desde o ano lectivo de 1985/1986, tendo na altura o nome de Escola Preparatória de S. Domingos de Rana .

Posteriormente, em Novembro de 1995, foi escolhido um patrono passando a escola a chamar-se Escola Básica 2+3 Matilde Rosa Araújo.

Matilde Rosa Araújo nasceu em Lisboa em 1921. Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi professora do Ensino Técnico Profissional em Lisboa e noutras cidades do País, assim como professora do primeiro Curso de Literatura para a Infância, que teve lugar na Escola do Magistério Primário de Lisboa.

Autora de livros de contos e poesia para o mundo adulto e de mais de duas dezenas de livros de contos e poesia para crianças, a sua temática centra-se em torno de três grandes eixos de orientação: a infância dourada, a infância agredida e a infância como projecto. 

Tem-se dedicado, ao longo da sua vida, aos problemas da criança e à defesa dos seus direitos. 

É autora de alguns volumes sobre a importância da infância na criação literária para adultos, sobre a importância da Literatura Infanto-Juvenil na formação da criança e sobre a educação do sentimento poético como mais-valia pedagógica. 

Recebeu os seguintes prémios no domínio de Literatura para a Infância

Grande Prémio de Literatura para Criança da Fundação Calouste Gulbenkian ex-aequo com Ricardo Alberty, em 1980; Prémio atribuído pela primeira vez, para o melhor livro estrangeiro (novela O Palhaço Verde), pela associação Paulista de Críticos de Arte de São Paulo, Brasil, em 1991; 

Prémio para o melhor livro para a Infância publicado no biénio 1994-1995, pelo livro de poemas Fadas Verdes, atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian, em 1996.” [1]